Destino para descansar

Cambará do Sul está localizado na Serra Gaúcha, na região conhecida como Campos de Cima da Serra. A região é conhecida por seus Cânions e também é chamada de Aparados da Serra. O município fica na parte nordeste do Rio Grande do Sul e faz divisa com acessos por estrada com São Francisco de Paula (RS), Jaquirana (RS), São José dos Ausentes (RS) e Praia Grande (SC). Sua localização é muito estratégica porque está próximo ao litoral gaúcho e às regiões das Hortênsias e da Uva e Vinho.
Fica a aproximadamente 200 km de Porto Alegre, a capital do Rio Grande do Sul.
mapa cambara

Árvore-do-CambaráA palavra Cambará é de origem tupi-guarani e significa “folha de casca rugosa”. É o nome de uma árvore típica da região. Na praça central de Cambará do Sul é possível conhecer a árvore. Suas folhas verde-claro são conhecidas pelo poder medicinal. São ótimas no combate a gripes e tosses fortes.

Cambará do Sul é conhecida também como a “Terra dos Cânions”. A pequena Cambará do Sul é campeã no ranking de baixas temperaturas, sendo que o seu inverno está sempre entre os lugares mais frios do Brasil.

cambara frio

 Lugares para Visitar em Cambará do Sul

cambara6A Cachoeira do Nassucar fica ao norte do município de Cambará do Sul, nas áreas de maior altitude. Formada pelo Rio Santana, a Cachoeira tem formato único com até 60 metros de queda. O local é acessado pela Fazenda Santana.
Cachoeira do Passo do S Localizada a 38 km de Cambará do Sul, no município de Jaquirana onde o rio Tainhas forma um lajeado de 80 metros de largura que despenca em uma bela cachoeira é ótimo local para.
cambara4Trilha Cachoeira do Tio França está localizada a 3 Km da cidade de Cambará do Sul, é onde o arroio Campo Bom despenca para formar uma das várias cachoeiras da região. A trilha apresenta 3 Km de extensão (ida e volta) e não apresenta nenhum grau de dificuldade.
cacc
Cânion Churriado possui 03 km de extensão. A altura de suas paredes variam de 250 a 700 metros. Assim, como o seu vizinho, o cânion Malacara, também é um dos cânions mais selvagens e suas paredes verticais, com ângulos de 90 graus, impressionam. Este cânion também está dentro do Parque Nacional da Serra Geral e só pode ser visitado com o acompanhamento de um guia credenciado. Trilha do Cânion Churriado Distante 23 Km de Cambará do Sul (estrada CS 012) mais 16Km de caminhada (ida e volta). O cânion Churriado fica no caminho do Cânion Malacara nesta trilha parte das proximidades do cânion Fortaleza indo em direção sul do parque na parte de cima à caminhada é realizada entre os Campos de Cima da Serra, no meio de banhados e trufeiras na borda da serra geral, passando pelos cânion Leão, Cânion Corujão até chegar no Cânion Churriado, durante o percurso em dias claros á a possibilidade de avistar o litoral gaúcho e catarinense. Este passeio leva em média 5h de caminhada.
cambara5
O Cânion Fortaleza é considerado um dos mais exuberantes da região. Possui 7,5 km de extensão, 2.000 metros de largura e uma altitude de 1.240 metros acima do nível do mar. Os seus paredões lembram muralhas. Daí a origem do nome Fortaleza. As principais trilhas são: a Trilha do Mirante, onde é possível ver a grandiosidade do cânion e, em dias claros, parte do litoral gaúcho; a Trilha da Cachoeira do Tigre Preto onde despencam as águas do Arroio Segredo; e a Pedra do Segredo, um bloco de rocha de 5 metros de altura, pesando 30 toneladas, equilibrada numa base de 50 centímetros. Um verdadeiro segredo!
CANION-FORTALEZA
O Itaimbezinho é o cânion mais famoso da região. Fica localizado no Parque Nacional de Aparados da Serra, distante 18 km do centro de Cambará do Sul. O Instituto Chico Mendes é o órgão responsável pela preservação do local. Os seus paredões com 5,8 km de extensão e 720 metros de profundidade encantam visitantes. O nome é de origem tupi guarani e significa “ita”, que é pedra, e “aimbé”, que quer dizer cortada. Ao observar as paredes íngremes, que parecem ter sido cortadas a facão, logo se entende porque os índios deram o nome de Itaimbezinho. Visitado por milhares de pessoas todos os anos, o Cânion Itaimbezinho propicia a realização de diversas atividades, como trekking e passeios de bike. Na parte de cima, é possível caminhar por duas trilhas: a do Vértice e a do Cotovelo. Já na parte de baixo, os visitantes podem se aventurar na Trilha do Rio do Boi, uma verdadeira expedição por dentro do cânion.
itaimb2
itaimb

A força das águas

Banhos de cachoeira relaxam e renovam a energia. Os passeios fazem a alegria da criançada.                                          Aproveite!

Para se aventurar

A região do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em GO, reúne cânions, rios e quedas-d’água no coração do Cerrado. A maior parte dessas cachoeiras tem acesso complicado. Em Almécegas, perto de Alto Paraíso de Goiás, tem uma cachoeira com 50 metros de queda e pode ser conhecida com uma caminhada leve de 1,5km. Em São Jorge, para chegar aos belíssimos Saltos 1 e 2 do Rio Preto, é preciso caminhar 10km, ida e volta, mas vale a pena, pois são 80 e 120m de altura, respectivamente. Na volta, uma pausa nas piscinas naturais com efeitos de hidromassagem que são revigorantes.

cascata

Para relaxar

No Vale do Alcantilado, no RJ, uma caminhada de 1,5km percorre nove quedas. O lugar tem forte ligação com a natureza. Visitar as cachoeiras faz parte do pacote básico de viagem a esse destino. É um programa tranqüilo, perto da cidade e com acesso fácil. Nas mesmas condições, a Cachoeira do Escorrega, com um tobogã natural, e Santa Clara, queda com 40m com piscina natural. Para chegar ao local, só com veículos 4×4. No passeio pode-se ver as três maiores quedas da região: cachoeiras Paiol, com 90 m, Brumado com 120m e Cinco Estrelas, com 200m.

cascata2

Para se encantar

Um cânion, uma grande área de Mata Atlântica preservada e 275 quedas-d’água compõem o cenário das Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, no PR. Para proteger a atração, os dois países que fazem fronteira, criaram parques organizados e com boa estrutura. Vale visitar os dois. No Brasil, um ônibus sai do centro de visitantes e leva à passarela, com a melhor vista panorâmica de todo o Complexo. No final dela, o elevador de vidro conduz à parte baixa, os respingos e o som ensurdecedor transformam o passeio em uma experiência emocionante. No parque argentino, outra passarela sobre o rio dá novo ângulo para observar o espetáculo, agora por cima. De um lado ou de outro, você pode pegar um bote e chegar pertinho das quedas, o que torna o seu dia ainda mais inesquecível. Dica: para entrar no parque argentino é preciso estar com seu RG.